Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência presta contas das atividades do 1ª semestr

A Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Paraíba (OAB-PB), representada pelo presidente Ricardo Fernandes e pelo secretário geral Yvson Cavalcanti, se reuniu na tarde desta terça-feira (14), com o Presidente da OAB-PB, Paulo Maia e, juntos, prestaram contas dos trabalhos realizados durante o primeiro semestre de 2016.

Na oportunidade, foram destacados os temas tratados nas seis reuniões ordinárias e quatros extraordinárias, todos relevantes para o segmento das PcDs. Foi dado relevo ao papel que a OAB-PB vem exercendo a partir de sua representação junto aos Conselhos Estaduais e Municipal referentes a defesa dos direitos da pessoa com deficiência.

Segundo Ricardo Fernandes, “a nova gestão da OAB-PB ofereceu uma oportunidade nunca antes vista para o segmento das PcDs. Agora, a Ordem saiu da obscuridade e passou a exercer seu relevante papel junto a sociedade, especialmente, por meio da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência, junto ao segmento que contempla quase 30% da população do Estado. Hoje, as pessoas com deficiência podem contar com a Ordem para apoiar o que for necessário na defesa dos direitos fundamentais referentes as pessoas e suas peculiaridades físicas e/ou mentais.”

Já Paulo Maia, enalteceu a importância da participação da Comissão perante a sociedade, sobretudo diante da necessidade de se equalizar as diferenças naturais existentes entre as pessoas e parabenizou a atitude mais recente da Comissão, consistente em oficiar e requerer a Fundação de Apoio ao Deficiente (FUNAD), o que passará a fazer sempre que necessária a disponibilidade de intérprete de libras para auxiliar nos eventos públicos organizados pela Ordem, conforme os requerimentos feitos pela Comissão, “em virtude da importância e do papel que a OAB exerce para toda a sociedade, determino que seja realizado um estudo no sentido de viabilizar no prédio a sede da OAB-PB, além de piso tátil, programas de soft e livro em braile, o que deve ser promovido desde já,” afirmou o Presidente da OAB-PB.

0 visualização